TEXTO

TEXTO

+ -

Olá, seja bem vindo!

Esqueceu a senha? Clique aqui.

Baixe o nosso app:

  • Google Play
  • AppStore

Biotério recebe alunos dos cursos de Medicina e Medicina Veterinária para apresentação sobre construção da ciência e pesquisa feita com princípios racionais, éticos e legais

21/05/2019 às 16h50

Aconteceu hoje, 21, no Biotério do Centro Universitário CESMAC, com iniciativa do curso de Medicina, ação para ambientar o aluno com a pesquisa experimental, “discutindo sobre o convívio ético com animais de laboratório, oportunidade de entender como se dá a construção da ciência, explorando no Biotério de experimentação e entendendo a importância do uso ético e racional dos nossos animais. Docentes, discentes, monitores e alunos de iniciação científica, todos juntos compreendendo como nasce o conhecimento, como os cientistas chegam às descobertas utilizando-se de princípios racionais, éticos e legais”, disse o coordenador do curso de Medicina do CESMAC, André Falcão.
 
O evento teve como responsável o Prof. Mílton Vieira Costa que enfatizou ser essa essa uma ação híbrida de ensino e pesquisa. ”É muito importante para todos os profissionais, inclusive para os profissionais médicos, entender como o conhecimento é construído, como a ciência realmente é feita, como as descobertas e os inventos são construídos e elaborados para depois se transformarem nos tratamentos propriamente ditos. Então, o medicamento que é prescrito lá na ponta do atendimento, para que isso aconteça, tem que existir pesquisa científica prévia e essas pesquisas começam no modelo animal. Para um médico que vai atender um humano, prescrever um medicamento para um ser humano, é importante que este médico saiba como esse conhecimento foi gerado. Este é o momento então, de aprender como é gerado o conhecimento, como a ciência realmente consegue construir essa informação”, disse o professor Mílton Vieira Costa.
O primeiro momento aconteceu na Sala Invertida com a parte teórica junto com professores, a Iniciação Científica, monitores e alunos do 2º período do curso de Medicina e o 6º período do curso de Medicina Veterinária, que discutiram qual a importância de um biotério, como é feito o desenho experimental de uma pesquisa científica e quais são os princípios éticos que devem ser seguidos na pesquisa científica. Depois dessa discussão, os discentes foram ao Biotério para conhecer todos os seus ambientes.
O Biotério é coordenado pela Profa. Gilsan de Oliveira, mestra em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), com especialização em Animais de Biotério pela Universidade de São Paulo (USP) e ainda doutoranda em Biociência e Biotecnologia pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz-PE). “ Essa aula prática é importante tanto para os alunos de Medicina e Medicina Veterinária, como para qualquer outro curso da saúde e de humanas, como a Psicologia. Na verdade, essa aula prática mostra para o aluno que ele pode desenvolver pesquisas, pois temos um Núcleo de Pesquisas, que é o Programa Semente de Iniciação Científica (PSIC), que conta com o apoio da Fapeal e incentivo do CNPq, então, a pesquisa, realmente se movimenta. O Biotério é uma ferramenta essencial no desenvolvimento de pesquisas de excelência. A saúde hoje precisa de pesquisa para atender de forma melhor a sociedade. No caso da Medicina Veterinária, mantendo a saúde dos animais, a gente também consegue manter a saúde humana, até porque, a maioria das doenças hoje, é de caráter zoonótico, elas passam primeiro pelos animais. Conseguir fazer uma interação entre a Medicina e a Medicina Veterinária nessa aula, é um passo e um incentivo. Plantar a sementinha do ensino, pesquisa e extensão é uma troca de conhecimentos muito válida”, concluiu a Profa. Gilsan de Oliveira
Na aula foi mostrado tudo o que o Biotério CESMAC tem à disposição para oferecer para os alunos. Equipamentos de alta tecnologia (como o aparelho de anestesia inalatória), que podem estimular os estudantes a estudar cada vez mais e ser referência no Estado. As disciplinas envolvidas na ação foram: organização morfológica e funcional e doenças parasitárias.