Aguarde. Carregando informações.
CESMAC ONLINE

Para acessar a área do aluno, utilize sua matrícula e senha nos campos abaixo e clique em acessar.

Esqueceu a senha? Clique aqui.

Dia “D” na luta contra a AIDS

Ação faz parte do chamado “Dezembro Vermelho”.

Um grupo de estudantes do curso de Odontologia do Cesmac iniciou o mês intensificando as ações focadas na luta com a AIDS. A iniciativa aconteceu justamente no dia 01 de Dezembro, data em que acontecem ações no combate e prevenção da doença em todo o Brasil.
Os graduandos integraram a programação UDIP/ HD/ HUPAA, com mobilização e luta com o preconceito, incluindo ações educativas no Hall d entrada do Hospital Universitário, no Campus da Universidade Federal de Alagoas e ainda no trânsito, próximo a unidade hospitalar. A iniciativa foi em parceria com a Unidade de Doenças Infecciosas e Parasitárias do Hospital Universitário.
A ação também faz parte do chamado “Dezembro Vermelho”, justamente para chamar a atenção para o assunto. As atividades devem acontece durante todos o mês com ações pontuais envolvendo professores, estudantes, profissionais e órgãos ligados à saúde.
Não apenas informar as pessoas sobre os sintomas, perigos e formas de se prevenir da doença, o Dia Mundial de Luta contra a AIDS também tem a função de auxiliar no combate contra o preconceito que os portadores de HIV - vírus humano de imunodeficiência - sofrem na sociedade por causa da doença.
A Doença
A sigla AIDS vem do inglês Acquired immunodefiecience syndrome, que em português significa “Síndrome da Imunodeficiência Adquirida”. O vírus da AIDS (HIV) destrói as células brancas do organismo, responsáveis em proteger e combater doenças no corpo humano.
Com a destruição das defesas do organismo, o corpo fica bastante fragilizado e propício a ser atacado por inúmeras doenças, como pneumonias, infecções, herpes e até mesmo alguns tipos de câncer.
A AIDS pode ser transmitida através do contato de fluídos corporais do infectado com o sangue de uma pessoa saudável, por meio de relações sexuais sem preservativo (camisinha), transfusões de sangue ou compartilhamento de seringas e agulhas. É importante destacar que beijos de língua, abraços ou contatos com a pele da pessoa portadora de HIV não transmite a doença!
A doença não tem cura, mas pode ser tratada com coquetéis antiaids, quando diagnosticada a tempo, melhorando a qualidade de vida do infectado.