TEXTO
TEXTO
+ -

Olá, seja bem vindo!

Esqueceu a senha? Clique aqui.

Baixe o nosso app:

NAFRI CESMAC promove debate sobre os Impactos da COVID-19 nas Comunidades Indígenas de Alagoas

Live acontece hoje (08), às 19h, no @nafricesmac

08/07/2020 às 13h45

Os “Impactos da COVID-19 nas Comunidades Indígenas de Alagoas” será tema de live hoje (08), no Instagram @nafricesmac. A iniciativa é do Núcleo Acadêmico Afro e Indígena – NAFRI, do Centro Universitário CESMAC.
O Prof. Dr. Jorge Vieira, coordenador do NAFRI, Mestre em Desenvolvimento Local pela Universidade Bom Bosco (UCB/MS), Doutor em Letras e Linguística pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/Minas) e pela Université Stendhal Grenoble (França), recebe o convidado Celso Xucuru-Kariri, da aldeia Fazenda Canto, presidente do Conselho do Distrito Sanitário Especial Indígena – DSEI.

O objetivo é ouvir o representante da comunidade para saber como se encontram as comunidades indígenas e entender como está o contexto político local e nacional nesse contexto de pandemia. De acordo com o coordenador do NAFRI a ideia é também, “identificar as dificuldades, qual o diagnóstico que o Celso tem com essa realidade da COVID-19 e ainda que sejam apresentadas propostas para proteção, organização, entre outras questões, do ponto de vista das politicas públicas, em especial as relacionadas com a saúde dos povos indígenas. Além disso, também queremos saber da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), órgão do Ministério da Saúde, como está esse processo de acompanhamento e desenvolvimento de atividades nessas comunidades”, reforça o Prof. Dr. Jorge Vieira.

O núcleo vem promovendo uma série de discussões e realizando trabalho de acompanhamento sobre a situação e dimensões sociopolíticas e econômicas dos índios e das comunidades quilombolas. O objetivo é produzir conhecimento para socializar com a comunidade acadêmica e também para toda sociedade alagoana, ampliando a produção para um alcance nacional e internacional.

O NAFRI também já realizou live com o secretário de saúde do município de Água Branca Antônio Kalankó, que é indígena formado em Enfermagem. A ações vêm sendo adaptadas e colocadas em prática nesse período de pandemia, gerando resultados positivos, com a aprovação de Projetos de Extensão Universitária Remota em área como: Medicina, Serviço Social, Enfermagem e Jurídica, promovendo um diálogo com diversas áreas do conhecimento.