TEXTO
TEXTO
+ -

Olá, seja bem vindo!

Esqueceu a senha? Clique aqui.

Baixe o nosso app:

Psicóloga do Cesmac fala sobre Campanha “Janeiro Branco”

Conversa com Docente e Coordenadora dos Núcleos de Apoio Psicopedagógico (NAPC) e de Acessibilidade (NAC), Janaína Diniz, reforça importância de cuidar da saúde mental e da prevenção ao suicídio

07/01/2021 às 11h25

O início do ano é marcado pela Campanha “Janeiro Branco”, que mobiliza milhares de pessoas no engajamento para o alerta sobre a importância de cuidar da saúde da mente e prevenir os casos de suicídio no Brasil. Geralmente nesse período as pessoas tendem a refletir sobre a trajetória de vida, relacionamentos, desafios, conquistas, entre outras questões que chegam à mente.
Considerando essas demandas, janeiro foi escolhido para representar a saúde mental no Brasil. Estima-se que de cada 100 pessoas, ao menos 30 sofrem ou sofrerão, em algum momento da vida, de problemas relacionados à saúde mental.

O “Janeiro Branco” foi criado em 2014, em Minas Gerais, idealizado pelo psicólogo Leonardo Abrahão. Atualmente, a campanha conta com colaboradores em diversas cidades do território nacional e a aderência aumenta a cada ano. Além disso, em muitas cidades é possível participar de palestras ou mesas de debate sobre o assunto. O tema se tornou ainda mais necessário por conta de tudo que tem ocorrido no mundo com a pandemia do Novo Coranavírus (COVID-19).

A Campanha começou a ser realizada em Alagoas no ano de 2017. O trabalho foi tão intenso, envolvendo a categoria de Psicólogos que devido a relevância, em 2018, foi transformada em Lei Estadual (Lei 7.984). O Conselho Regional de Psicologia de Alagoas (CRP-15/AL) também apoia a campanha.
Em entrevista ao Site do Cesmac, a Psicóloga, Docente e Coordenadora dos Núcleos de Apoio Psicopedagógico (NAPC) e de Acessibilidade (NAC) da Instituição, Janaína Diniz, reforçou a importância de cuidar da saúde mental e do reforço voltado para a prevenção nesse aspecto. A profissional também esclareceu alguns pontos importantes e contextualizou com a realidade vivida nos tempos atuais de pandemia.
Confira a Entrevista em formato de Entrevista Ping Pong:

 
Qual o significado do “Janeiro Branco” em tempos de pandemia?
 
O ano que passou foi atípico e, certamente, trouxe reflexos na saúde mental da população, que já é preocupante. De acordo com a OMS, o Brasil é considerado o país mais ansioso do mundo e o quinto mais depressivo. Com a pandemia, esses dados referentes devem ser ainda mais preocupantes. E a campanha Janeiro Branco tem o propósito de colocar a saúde mental e emocional em evidência e convidar as pessoas a pensarem sobre suas vidas, a qualidade de seus relacionamentos, suas emoções, pensamentos e comportamentos. Sendo assim, em tempos de pandemia, a campanha assume ainda mais relevância, ressaltando a importância no processo de conscientização sobre as doenças psicológicas.
 
Cuidar da mente é cuidar da Vida?
 
Com a Campanha “Janeiro Branco”, nós reforçamos essa ideia de quem cuida da mente cuida da vida. Se estamos falando de saúde, estamos falando, também, de qualidade de vida e bem-estar. É consenso que a saúde emocional é tão importante quanto a física, na verdade, ambas estão profundamente atreladas. O nosso organismo pode ser observado por uma perspectiva biológica ou psicológica, mas isso não significa que esses aspectos estão separados.
 
O que essa Campanha representa para o início de ano?
 
Janeiro, por ser o primeiro mês do ano, simbolicamente e culturalmente permite às pessoas uma oportunidade de fazer uma pausa, entre o fim e o início de algo, para recarregar as energias, avaliar o passado e planejar o futuro. É um período de reflexões e geralmente os indivíduos fazem planos, estabelecem metas para uma melhor qualidade de vida. Sendo assim, um mês propício para ressaltar que a saúde mental e emocional precisa de atenção, ultrapassando barreiras nacionais, culturais e socioeconômicas. Dessa forma, a Campanha “Janeiro Branco” pretende estimular iniciarmos o ano favorecendo uma ‘cultura da saúde mental’.
 
Saúde mental e saúde emocional têm diferença?
 
Quando se fala em saúde mental, muitos relacionam à ausência de doenças, como depressão, ansiedade, bipolaridade etc. A Organização Mundial da Saúde (OMS), entretanto, conceitua saúde como um completo estado de bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doenças ou demais enfermidades. O termo está relacionado à forma como uma pessoa reage às exigências, desafios e mudanças da vida e ao modo como harmoniza suas ideias e emoções. Diariamente, vivenciamos uma série de emoções, boas ou ruins, mas que fazem parte da vida. Ambas São importantes para o bem-estar e equilíbrio do ser humano, a saúde emocional e saúde mental estão intimamente conectadas.
 
Como podemos identificar que estamos precisando de ajuda e o que fazer?
 
Uma dica importante que ajuda a identificar o desenvolvimento de um problema psicológico, é avaliar o tempo que os sintomas permanecem no seu dia a dia, ou seja, se são recorrentes. Problemas, todos temos, porém a partir do momento em que eles começam a aparecer de forma contínua, implicando assim, em prejuízos nas suas atividades diárias, é o momento de parar e de procurar a ajuda de um profissional. O sinal de alerta e a atenção aos sintomas deve ser acionado quando os conflitos passam a ser recorrentes e prejudiciais, sem observação de melhora. Assim, a psicoterapia é uma grande aliada no tratamento de problemas psicológicos.
 
 
Saiba mais em https://janeirobranco.com.br/2020/12/21/janeiro-branco-2021/ e https://www.ostomais.com/janeiro-branco-saude-mental/